Mural de publicações

LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

O termo miofascial faz referência aos músculos (mio) e à fáscia; que nada mais é, que uma capa de tecido conjuntivo que envolve e recobre os músculos. Sua principal função é a de compactar os tecidos e separá-los em compartimentos. Além disso, tem um importante papel na ligação e união de todas as partes do nosso corpo, auxiliando, também, no deslizamento dos músculos entre si e preenchimento dos espaços, dando unidade à estrutura, ao mesmo tempo em que cria as condições necessárias para que cada segmento do corpo funcione de maneira adequada e em cooperação mútua. No dia a dia, a fáscia pode se tornar rígida e perder sua elasticidade, de forma o suficiente para impedir que o músculo cresça e a mobilidade do corpo seja diminuída. 
Liberando as restrições e aderências da fáscia e devolvendo-lhe a sua extensibilidade normal, restabelece-se o movimento livre dos tecidos. Nesse momento é que entra a liberação fascial, técnica que atua com mobilizações manuais da fáscia visando quebrar o espasmo muscular, aumentar a circulação local e diminuir a dor. Flexibilizar os tecidos, descolar as camadas umas das outras e reposicioná-las, reduzindo as tensões e os encurtamentos, estão entre as principais tarefas empreendidas no processo de liberação. Através de dígito pressões, massagens transversas e trações superficiais do tecido (por isso muitas vezes não se utiliza creme), essa "grande membrana corporal" é liberada e tem seu comprimento normal restaurado. Trazendo alívio das dores musculares, diminuição da tensão muscular, melhora do contorno muscular, prevenção de lesões em atletas e potencialização do desempenho. Sendo indicada, portanto, a casos de dores na coluna, dores musculares, diminuição da mobilidade articular, cãibras recorrentes, músculos fadigados, atletas em geral e em sujeitos que almejam a hipertrofia muscular. 

Referencias: 
-Myers, Thomas W. Trilhos Anatômicos Miofasciais: meridianos miofasciais para terapeutas manuais e do movimento. SP, Manole, 2017;
-Schleip R, Müller D. Training principles for fascial connective tissues: scientific foundation and suggested practical applications. J Bodyw Mov Ther. 2013.
-Stecco C. et al. The fascia: the forgotten structure. Ital J Anat Embryol, vol. 116, n. 3, pag. 127-38. 2011.

voltar